Todos os Direitos Resevados à Lu Cavichioli

Creative Commons License Todos os trabalhos aqui expostos são de autoria única e exclusiva de Lu Cavichioli e estão licenciadas por Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License. Não comercialize os trabalhos e nem modifique os conteúdos Se quiser reproduzir coloque os devidos créditos

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Série: "Eu escrevia assim(...)"

Pessoal, esse texto foi escrito no final dos anos 70, em virtude da descoberta sobre bebês de proveta.
Na época, o texto doi selecionado para figurar no jornalzinho do colégio e foi aprovado pelo conselho dos professores do Colégio XII de Outubro, onde cursei o técnico em Secretariado.

Vamos a ele - obrigada!



Arte(fato)





Então ele veio de longe, não iria vir, mas...

Em seu pequeno mundo interno e distante existiam pensamentos assim: - “será que serei sempre essa partícula  a vagar sem rumo?”

Que pena, não havia resposta!

E um dia, sem mais nem menos, aquela partícula inconsolável foi retirada de seu habitat. Deram-lhe um novo lar, cristalino e transparente. E sem que  pudesse reconsiderar se queria ou não estar ali, percebeu que tinha visitas. Achou-se frente a frente com milhões de soldadinhos apressados que corriam ao seu encontro, e  como eles eram familiares ficou toda sorrisos, embora não tivesse a mínima consciência do que ia lhe acontecer dali por diante.


Passou-se alguns dias e nosso personagem que já estava meio gordinho, com formas diferentes, mudou-se de aposento voltando ao planeta natal. A partir daí , sentiu-se pela primeira vez feliz e em segurança. E pensava consigo: - “Fui vítima de uma metamorfose!? Mudei muito desde que engoli um soldadinho daqueles!!


Mexia-se muito nosso pequeno amigo, espreguiçava-se, querendo até ficar sentado -  por aqui está tudo tão apertado... "Quando será que vou sai(...)" - resmungava.


 Passado mais algum tempo, nosso camaradinha assustou-se!
 Sem querer havia ficado em uma posição estranha, estava de ponta cabeça. Ah, ele já não entendia mais nada! Até que numa tarde o milagre da vida penetrou em nosso amiguinho .

Surgiu através de nuvens brancas e janelas ensolaradas. Sentia muito frio, mas trazia no rosto um sorriso de contentamento. Estava tão feliz que exclamou:

__ SOU GENTE!!!


by Lu C.



12 comentários:

  1. Tu já escrevias bem naquele tempo, amiga Lu. Um abraço. Tenhas um boa tarde.

    ResponderExcluir
  2. Minha querida, faz tempo que é especial com as palavras. A ternura desse texto é contagiante. Bjs.

    ResponderExcluir
  3. AIII MEU DEUS, QUE LINDO, EU AMEI LUCIA, COISA MAIS FOFA QDO NASCE.

    PARABÉNS TUDO DE NVO VIU SUA LINDA.


    TE ESPERPO NOS MEUS 3 BLOGS QUE TEM NOVAS LA QUE TUA AINDA NAO VIU, NOS CHOCOLATES, NO PHOTOSHOP E NO LA FEMME, TE VEJO POR LA ESTACIONADA. BJS.

    ADOREI TODO O CONTEUDO DESTE TEXTO, BJS!!

    ResponderExcluir
  4. SUA LINDA, KKK GOSTOU DA MINHA ESTANTE?/ ENTÃO PODERIAMOS FAZE LA MENOR NE?? NO MEU APTO SE AQUELA ESTANTE ENTRAR EU TENHO QUE SAIR, SRRSRS, OU 3 PEQUENAS PRESAS NA PAREDE, AI EU MORRO!!

    BJS!!

    ResponderExcluir
  5. Nossa Lu
    Adorei.
    Certamente foi um dia muito especial ter esta maravilhosa crônica cheio de ternura e publicado no jornal do colégio.

    Excelente.
    Bom dia.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. E lá se foram uns trinta e poucos anos, mas que ficaram as lembranças de uma menina desenvolta e talentosa, que já seguia seus passos rumos ao mundo literária, e, olhe, já com temas nada fáceis de serem dissecados. Muito bem, menina! Que você continue sempre sendo essa menina curiosa e encantadora!!!

    ResponderExcluir
  7. Eu não lembro de como eram as minhas escritas na escola, mas não era lá grande coisa não. Fazia o basiquinho pra me livrar da obrigação e pronto.

    Como li aqui, "sua caneta sempre soube quais caminhos seguir".

    Beijo, Lu.

    ResponderExcluir
  8. E não é de hoje que a garota desenvolveu seu grande talento para as letras...
    Garanto que já escrevias muito bem, desde então!
    E falo isso de cadeira, claro...
    Um texto gostoso, aconchegante, fiel ao tema, Lu, parabéns!
    *Acho que esse é inédito para mim.
    Beijosss

    ResponderExcluir
  9. Não admira que continue a escrever bem:)!
    Bjo

    ResponderExcluir
  10. Amigos:

    Dilmar
    Mari
    Patty
    Poema
    Elisa
    Passarinho
    Milene
    Gracinha
    Álvaro

    GRATA PELA PRESENÇA, LEITURA E COMENTÁRIOS.
    É importante sempre tê-los por perto.

    grande beijo a todos!

    ResponderExcluir
  11. Gracinha, vc gostou do textinho adolescente? kkkkkkk Coisa da minha cabeça naquela época...

    Sim, miga, é inédito pra ti! Coisas daquele baú kkkk que aos poucos vou tirando a poeira.

    bacios

    ResponderExcluir

Bem vindo ao Escritos na Memória

Deixe seu comentário, eu gostaria imensamente saber tua opinião

Obrigada