Todos os Direitos Resevados à Lu Cavichioli

Creative Commons License Todos os trabalhos aqui expostos são de autoria única e exclusiva de Lu Cavichioli e estão licenciadas por Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License. Não comercialize os trabalhos e nem modifique os conteúdos Se quiser reproduzir coloque os devidos créditos

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Os gritos de Carminha

Leninha era vizinha de casa de Carminha. Eram aquelas casinhas feito casa de pombo, geminadas.
Paredes coladas e ouvidos abertos, afinal ninguém era surdo ali.

Uma tarde Leninha estava estudando na cozinha enquanto sua mãe terminava algumas costuras. Foi daí que começaram a ouvir gritos alucinantes e pelo jeito que esses gritos vinham eles eram de pavor e dor.
Leninha saiu no quintal e foi aí que ouviu:

_NÃO, NÃO VÓ POR FAVOR NÃO ME BATA!
_Sua cadela eu já mandei você lavar o banheiro, depois ir fazer comprar e fazer almoço. Mas você não me obedece sua vagabunda!

E a vó batia e batia sem dó!
Leninha correu e chamou sua mãe. As duas ficaram ouvindo penalizadas os gritos da pobre Carminha.

Quando foi a noite, Leninha tocou campainha da casa de Carminha. Veio a velha dizendo:
_O que você quer sua enxerida?
Ah, eu... É que eu queria ...
__ DIGA LOGO!!

_Ouvi gritos aí... A Carminha tá bem e eu posso entrar?
_Vai entra logo, a Carminha tá no quarto dela.

Leninha chegou rapidamente ao quarto da moça e a viu sentada no chão encostada na cama e estava em prantos.
CARMINHA?

_Ai Leninha é minha vó, ela me deu uma surra hoje só porque eu não fiz o que ela tinha me pedido. Que dose viu? Eu tenho meus trabalhos de colégio, aulas na auto-escola e eu ainda tenho que ficar fazendo faxina. Ah, eu eu to com muita dor de estomago, acho que é de nervoso... Deve ser gastrite nervosa.

_Mas porque tua avó te maltrata tanto? Eu nunca vi uma avó assim. A minha é tão boa comigo...

E Carminha chorava ainda mais.



A moça em questão era criada pela avó , tal e qual a tia da praia (a tia -avó Zulmira).
Carminha foi abandonada pela mãe depois do divórcio e o pai dela casou-se novamente e não queria saber de criar a filha , então ela ficou com a velha malévola e que também tinha um gato.

INCRIVEL!

Leninha se compadeceu da amiga e disse:
_Vamos lá em casa . Minha mãe fez almôndegas no molho, hummm estão ótimas.
_Imagine uma coisas dessas... Minha avó me mata de pancadas se eu sair daqui. Ela disse que eu to de castigo e nem posso sair do quarto.

Leninha ficou doida de raiva da velha, mas nçao disse nada para resguardar a amiga. Despediu-se dela dizendo se veriam na manhã seguinte no colégio.


*episódio verídico*
E vem mais por aí - aguardem.

-Nota da Lu: Amigos, alguns desses episódios eu presenciei ou me foram contados por Leninha. Simplesmente porque estas duas, eram minhas vizinhas e também estudavam no mesmo colégio que eu.



6 comentários:

  1. Coitada da Leninha... mas compreendo... uma velha senhora talvez já não tenha paciência para tomar conta de alguém. Quem sabe...

    ResponderExcluir
  2. AAAAAAAHH MENTIRA!!

    A AMIGA VAI SE VINGAR DA AVÓ MÁ?
    QUE DA HORA, TO AMANDO,MAS QUE VÓ HEIN?? MEU PAI DO CÉU.


    BJS QUERIDONAAAAAAAA!!!

    PATTY.


    ResponderExcluir
  3. Lembrou-me o clima de "Um bom diabrete", "Huckleberry Finn" e "Oliver Twist" - três autores diferentes retratando a exploração infantil.

    Beijos, Condessa de Ségur-Twain-Dickens...

    ResponderExcluir
  4. Ana, vc nçao chamaria de "velha senhora" essa mulher. Ela era do mal, de verdade!

    Eu sentia um misto de raiva/medo por ela. Ma ela teve o fim que merecia. Que vou contar só no final da saga das moçoilas.

    bacios

    ResponderExcluir
  5. Patty Leninha até queria acabar com a vó malévola, mas nem precisou sujar suas mãos. A justiça divina fez o trabalho!!
    rs

    beijaõ amada

    ResponderExcluir
  6. Adoro Condessa de Ségur. Aliás estou relendo um livro dela que ganhei da minha avó nos anos 60.

    Lindo de viver a história!

    bacios caríssimo

    ResponderExcluir

Bem vindo ao Escritos na Memória

Deixe seu comentário, eu gostaria imensamente saber tua opinião

Obrigada